de volta à nave mãe: home
Home Home by Ivana Ebel Facebook Twitter E-Mail

menu

Estudar fora Sobre a Alemanha Viagens & turismo
Nonsense Receitas Jornalismo

sexta-feira, 16 de março de 2012

Pepinos Spreewald e a ostalgie: produtos que são a marca registrada da DDR


Existe um termo curioso que aprendi quando cheguei aqui na Alemanha, mas que em 3 anos e meio ainda não tinha feito muito sentido pra mim: Ostalgie, que é um neologismo que mistura nostalgia e “Ost”, de Ostdeutschland, a antiga Alemanha comunista. O termo se refere a costumes, modo de viver, mas também a produtos que as pessoas consumiam naquela época em que o pais eram dois. E mesmo passados 21 anos da reunificação (3 de outubro de 1990), há quem ainda prefira ter nos armários de casa os produtos que eram vendidos nos mercados controlados pelo governo nos tempos de comunismo. Existem lojas especializadas só em produtos da época.

Ostalgie: brinquedos, utensílios e outros ítens de um mercado da DDR

No ano passado eu participei de um sorteio no Blog da Mel (que eu recomendo demais!!) e ganhei um kit muito bacana de produtos da antiga DDR que acompanhava o livro “ParaísoSem Bananas”, da  historiadora e escritora Neusa Arnold-Cortez (tá tudo contadinho nesse post aqui). Agora, morando em Berlin, essa coisa toda das duas Alemanhas é muito mais presente e mesmo nos supermercados se nota a diferença: as prateleiras têm muitas coisas que nunca via em Bremen. Recentemente, quando estive em Leipzig, percebi ainda mais itens dessa lista. Mostardas Bautzner de todos os sabores, o mesmo com o Russisch Brott, um doce bemmmm doce que fica no meio termo entre biscoito e suspiro, vendido em forma de letrinhas.

Damenkittel: modelito das donas de casa da Alemanha comunista*

Em uma loja popular da Alemanha (a Woolworth, mas pode chamar de Wooly) vi até mesmo uns vestidos coloridos e de um material duvidável  que custei a entender: em uma visita ao Museu da DDR descobri que eram, na verdade, uma espécie de guarda-pó, peça central do vestuário feminino para o trabalho doméstico oferecidos pelas lojas estatais chamado Damenkittel.  Fiquei com vontade de comprar um só pelo valor histórico da peça, mas com essa vida de mambembe, não sei se vale ficar arrastando mais um pedaço de pano mundo a fora.

Spreewald: para quem viveu na DDR, gostinho de saudade

Mas tem outro item que se enquadra na ostalgie que eu acabei comprando. Na verdade, esse post era só pra falar disso e acabei esticando a conversa, como sempre. :) Trata-se do pepino em conserva Spreewald, que levam o nome da região onde são produzidos. Eles ficaram famosos com o sucesso do filme Adeus Lenin (Goodbye Lenin!, de 2003).  Em uma cena bem clássica (no vídeo abaixo, a partir de 42 segundos),  o personagem Alexander'Alex' Kerner  (interpretado por DanielBrühl), vai ao supermercado em busca do tal pepino, o favorito de sua mãe doente. Sem encontrar, acaba buscando alternativas para repor a iguaria e não permitir que sua mãe perceba que o muro caiu.



Bom, já formam spoilers o bastante pra um post só. Quem não viu o filme, precisa resolver isso o quanto antes. Pra quem já viu, vale dizer que a mãe da história, ChristianeKerner (interpretada por Katrin Saß) tinha razão em ser fã dos pepinos: suaves e ao mesmo tempo levemente picantes, entraram na lista dos meus favoritos. Por hora, tem sabor de Alemanha. Mas creio que um dia, quando estiver de volta ao Brasil, também vão ter para mim um gostinho de saudade.

*A foto foi tirada de um anuncio no e-bay, que você encontra nesse link.

5 comentários:

barb disse...

Assisti esse filme, muito bom, História com humor...

Sandra disse...

Ivana, eu adoro as histórias da DDR, acho super interessante esta parte da história alemã. Eu estive rapidamente em Thüringen, mas ainda quero visitar Dresden e outras cidades da ex DDR. Eu assisti Adeus Lenin e me diverti!! Outro filme super interessante, embora dramático, sobre a DDR é o "Das Leben der Anderen". Recomendo :-). Abraços!!

Ana Gaspar disse...

Bom como vou morar em Dresden, imagino que verei esse tipos de mercadinhos por lá, não sei... mas seria bem interessante se tivesse...
adorei o post! bem informativo.
beijoss

Ivana disse...

O filme é bom mesmo, Barb! Da até pra ver ele todo no link do vídeo que coloquei.
Fiquei curiosa agora pra ver o filme que a Sandra falou! Vou ver se acho!
E... Ana... não sei se vais achar mercadinhos como os da foto em Dresden: esse que postei a foto é em um shopping perto da Alexanderplatz, uma coisa meio pra turista. O que vais achar é mto produto da DDR nas estantes dos mercados normais, mas talvez não percebas isso pq todos vão ser novidade :D Só percebi pq morei 3 anos em Bremen e, chegando aqui, achei coisas que não estava habituada a ver e decidi pesquisar sobre elas... Acabei descobrindo que faziam parte da lista de produtos da DDR! :) Aliás, vou pensar em um post sobre isso: uma lista de produtos da DDR que vc encontra hj em dia nos mercados... :)

Carina disse...

Que interessante esta do avental feminino! Morei 3 anos em Eisenach e achava que tal peça, vendida em várias lojas, fosse parte do (mal) gosto da população da região! Só agora descobri que eram parte da cultura da DDR. :-)
Muito bacana e instrutivos teus posts!
Outra coisa que provei a pouco tempo e é marca registrada da DDR é o Nudossi! Ainda prefiro o Nutella, mas é bom tb!

de volta à nave mãe - desde 2008 © Ivana Ebel