de volta à nave mãe: home
Home Home by Ivana Ebel Facebook Twitter E-Mail

menu

Estudar fora Sobre a Alemanha Viagens & turismo
Nonsense Receitas Jornalismo

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Vida de mulher na Alemanha: dicas de beleza e saúde somente para elas


Os leitores homens deste blog que me perdoem, mas esse post é para as mulheres. Uma listinha de coisas fúteis absolutamente indispensáveis que precisamos saber na hora de vir pra Alemanha. Já escrevi um pouco sobre onde achar as coisas aqui, mas resolvi juntar tudo nesse post com mais alguns itens que ficaram de fora na primeira lista. Então, vamos ao que interessa, naquele esquema de “trazer ou não trazer, eis a questão”. E, vale lembrar que esse post é baseado única e exclusivamente na minha experiência pessoal (de estudante sempre sem grana) e opinião. Experiências diferentes e acréscimos são mais do que bem vindos nos comentários.

Salão de beleza

Faça uma sessão completa no seu salão favorito na véspera de viajar e diga adeus às mordomias da vida. Não importa quanto você paga no Brasil. Aqui, em valores numéricos, vai ser sempre três vezes mais, fora a conversão da moeda. Então, para esse fim, ai vão as dicas.

Cabelos:

Corte de cabelo: Escolha um cabelo prático que cresça sem te deixar com aparência de maluca. :) Vai demorar um tempinho até você se localizar bem na cidade e encontrar um salão que tenha uma cara bacana. E além disso, vai descobrir que a moda dos cortes é bem diferente na "Batatolândia". A maioria dos penteados daqui parece ter saído direto dos anos 80. E pra conseguir alguém que viva em 2011, vai desembolsar no mínimo 40 euros.

Tintura de cabelo: as tintas alemãs são ótimas e perfeitas. Não traga nenhuma do Brasil. Vá em qualquer loja de cosméticos (Rossmann, Schlecker, DM, etc) e saia de lá com as tintas mais legais do mundo por menos de 5 euros. :)

Shampoos e Cremes de cabelos: Por favor, não ocupe espaço na mala com isso. Vá no mercado assim que chegar e compre o primeiro que achar. Várias marcas internacionais vendem os mesmos produtos que você está acostumada a usar no Brasil. Além disso, seu cabelo (e a pele) vai ficar muito mais seco aqui por conta da água que é muito alcalina. Mas os cremes de cabelo também são ótimos. Só não espere encontrar nada especial para cachos e afins. Vi algumas lojas de produtos africanos com cremes especiais para cabelos afro, o que pode ser uma alternativa caso os cabelos fiquem realmente muito secos e sem salvação com a tecnologia alemã.

Secador de cabelo: Compre por aqui! Assim que chegar, ache a Saturn (tem em todas as cidades, praticamente) e se divirta. Um modelo bom, duas vezes menor e duas vezes mais potente que um secador “profissional” do Brasil (eu tinha um assim que paguei bem carinho) não custa mais do que 15 euros. Sem contar que a tomada é diferente: melhor ter logo um que sirva em qualquer tomada daqui né. Idem pra "chapinha".

Mãos e pés

Manicure e pedicure: Despeça-se da sua manicure como alguém que deixa um membro da família para trás. Você vai sentir mais saudades dela do que da maioria dos parentes! :D Por isso, aproveite seus últimos dias de Brasil e peça algumas dicas para a sua manicure: aprenda a fazer mãos e pés sozinha e, especialmente, tirar as cutículas. Na Alemanha, remover as cutículas só se você encontrar alguma manicure brasileira. Ah, e o preço não é nada animador: 20 a 30 a mão e 25 a 35 o pé.

Esmaltes: Traga alguns dos seus favoritos. Por aqui são caros (aqueles das marcas famosas) e os baratos são ruins.

Palitinhos de laranjeira: Até existem, mas não são tão baratos e nem tão bons. Como ocupam pouco espaço, vale trazer uns. Eu gosto daqueles com ponta de metal e esse tipo não tem MESMO aqui.

Acetona: depois de duas horas procurando perto dos esmaltes, descobri que ela fica junto com os cremes para as mãos (se chama Nagellak Remover)

Alicates de unha: nunca achei um que prestasse por aqui. Mas também não adianta trazer um bom e profissional do Brasil porque ele perde o corte com o tempo, certo? Então melhor trazer mais de um (aqueles mais simples, de cabo plástico mesmo) e ir trocando com o tempo.

Depilação:

Se você fizer natação aqui na Alemanha vai descobrir duas coisas. A primeira, que os banheiros são coletivos e sem divisão. A segunda, que depilação não é exatamente uma prioridade na vida das alemãs. Mas como esse aspecto da cultura é meio complicado de assimilar, existe salvação. :)

Cera: Minha depiladora querida e amada me ensinou a depilar minhas próprias pernas com cera. Eu trouxe um daqueles aparelhinhos elétricos portáteis que aquecem os refis de cera e sempre pedia os refis do Brasil. Ai que o aparelho queimou e eu comprei um novo pelo E-bay: melhor que o brasileiro! E compro os refis de cera e as folhinhas depilatórias pela internet também. E pago menos que no Brasil. Existem salões brasileiros também. Nesses salões – caso more em uma cidade maior certamente vai achar um – também vai encontrar quem faça depilação brasileira, mas a preços bem europeus.

Creme depilatório: Cremes tipo Veet e afins são fáceis de encontrar em qualquer farmácia.

Lâmina: a boa e velha gilete foi a solução que encontrei para virilha e axilas, já que a minha habilidade em auto depilação com cera acaba abaixo do joelho.

Pele

Corpo: A água vai deixar a pele mais seca desde o primeiro banho. Ainda mais com a chegada do frio, quando mais quente a água, mais ressecada fica a pele. Então, quilos de hidratante nela. Felizmente você está na Alemanha, a terra da Nivea e seus maravilhosos cremes para o corpo por um preço módico... Dove, Bebe e tantas outras marcas tem produtos bons também. Mesmo os cremes mais simples do mercado cumprem bem o papel de hidratar. A primeira vista, o susto vai ser grande: são muito mais gordurosos do que qualquer coisa que temos no Brasil, mas a sua pele vai agradecer!

Rosto: Todas as melhores marcas, os melhores cremes e os lançamentos mundiais chegam antes por aqui e por menos da metade do preço que são vendidos no Brasil. Então, economize seus reais e o espaço na mala e deixe pra comprar tudo aqui quando chegar. As embalagens são as mesmas e, mesmo sem falar uma única palavra de alemão, fica fácil achar o que se quer.

Protetor solar: O sol por aqui é diferente, sem aquela intensidade toda do Brasil. Isso quando ele aparece. Nesses dias, então, caso queira um protetor, deixe para comprar por aqui também. Diferente do Brasil – onde deveriam ser baratos por serem item de necessidade básica!!!! – , por aqui, custam muito pouco.

Sabonete: Eu adoro os da Natura! Podem me mandar de presente! Mas na verdade, fazem um certo mal aqui por conta do calcáreo da água. A pele acaba ficando muito seca. Então, a dica é usar sabonete líquido, que agride menos.

Outros:

Perfumes: São bem mais baratos que no Brasil, mas achei alguns do Freeshop ainda mais baratos. Só fique de olho com o tamanho das embalagens caso tenha voo com conexão aqui na Alemanha. De nada adianta o pacote lacrado do freeshop brasileiro. Se tiver conexão, valem as regras da aviação internacional e seu lindo frasco recém-comprado fica no Raio-X. Vale pesquisar o preço pela internet antes e ver se vale a pena comprar no aeroporto. Varia muito conforme a marca.

Maquiagem: Todas as marcas internacionais vão estar a venda na esquina da sua casa, mesmo que você more em uma cidade de 20 mil habitantes. Tem para todos os gostos e para todos os bolsos.

Biquínis: Os biquínis alemães tem um corte diferente, mas depois de três anos eu devo confessar que passei a gostar deles. São mais conservadores, mas refletem a cultura local: a praia não é o mesmo festival hedonista do Brasil. É um espaço democrático, pra gente que vai do PP ao GGG. A parte de cima do biquíni é, muitas vezes, uma blusinha: bem interessante pra quem quer a versatilidade de duas peças e a sobriedade de um maiô. As cores também são outras: mais sóbrias. E por aqui, ninguém vai se preocupar com o que você está usando ou não. Na verdade, se não quiser usar nada, tem praias e parques nudistas em todos os cantos...

Havaianas: Sim, traga uma. Traga duas até. Bem estampadas, coloridas, lindas e deixe todos com inveja. Já vi pra vender por aqui aquelas de cor lisa por módicos 34 euros. To fora. Claro que existem chinelos de dedo na Alemanha (2 pares por 1 euro na Primark), mas não tem o menor charme...

Sapatos: esqueça todos os seus saltos e enfie na mala apenas um sapato de festa. Por aqui você vai andar muito e certamente vai adotar um estilo mais confortável de se vestir. No dia-a-dia, as mulheres usam sapatilhas e mesmo tênis (sequinhos, sem ter cara de academia) para tudo. A noite, sapatos de bico arredondado e saltos grossos. Mas no geral, você vai precisar de coisas bem confortáveis para andar muito quase todos os dias. Ah, por fim, uma boa bota de couro, sem salto, pode ser um bom coringa na mala: compre um número maior ao menos para poder colocar uma palmilha de lã de carneiro e usar com meias bem grossas. Assim, elas seguram a onda no outono ou mesmo nos dias sem neve do inverno. Quando começar a neve, melhor investir em um sapato com boas garras para evitar tombos. Também botas com forro de lã. Mas isso tudo é mais barato por aqui do que no Brasil.

Casacos: Não compre casacos no Brasil. Só um para a chegada, caso já esteja friozinho. Os casacos brasileiros tem um corte diferente, normalmente com um decote em V e que não serve para dias de -10. Você precisa de algo que feche até o pescoço e tenha proteções para não entrar vento pelas abotoaduras. Além disso, na C&A, HM e outras tantas, um casaco bom custa a partir de 40 euros (e no Brasil não sai por menos de 300 reais, eu acho). Lojas populares, como a KIK e a Primark, vendem jaquetas forradas, de nylon, que seguram bem os dias de neve, a partir de 7 euros.

Calças: esqueça as calças jeans de cintura baixa do Brasil. Deixe todas em casa. Ou traga uma para o verão. Já vi muitas brasileiras sofrerem de cistite por aqui logo na chegada: blusas meio curtas + calças baixas = costas desprotegidas. E no mais, ninguém usa isso por aqui: você pode não notar nos primeiros dias, mas esse visual começa a parecer vulgar quando você ajusta o olho aos padrões da moda local. Não é implicância minha, eu juro! ;)

Período menstrual, contracepção e afins:

Anticoncepcionais: Só são vendidos com receita e, de um modo geral, mais baratos que no Brasil. No entanto, as receitas são para três ou seis meses (e você precisa pagar a taxa de marcação de consulta para visitar o médico que vai te dar a receita. Além disso, se der o azar de seu medico estar de férias, ninguém vai te dar a receita sem te examinar antes). Só pra deixar claro: como as receitas são para três ou seis meses, você vai ter que comprar todas as cartelas de uma única vez. A dica é: traga comprimidos para uns seis meses, até se acostumar com o sistema médico daqui e achar um ginecologista de sua confiança.

Remédios para cólica: Buscopam e Paracetamol são vendidos em farmácia sem receita (são poucos os remédios que você compra assim). Também existem chás para cólicas vendidos em farmácias.

Depressão de inverno:

Ficar triste no inverno não é frescura: é um fenômeno cientificamente reconhecido e muitos passam por isso quando os dias ficam muito curtos. Bom, não é uma exclusividade feminina, mas nas conversas com o pessoal aqui acabei percebendo que as mulheres parecem ser mais suscetíveis a ausência de luz e muitos dias sem ver uma única pontinha de azul no céu. Eu adotei duas coisas como tratamento: Sonnestudio (aquelas câmeras de bronzeamento artificial, já que você precisa de determinadas ondas de luz para processar vitamina D), mas a mais fraquinha e só por três minutos. A idéia não é ficar laranja e sim se sentir mais feliz. E, junto com isso, comprimidos de Johaniskräuter (Erva de São João, no Brasil), um antidepressivo natural e que, por aqui, vende até no supermercado.

Pronto. O post ficou compridão... Mas acho que tem algumas dicas úteis pra quem está se preparando pra cruzar o oceano. Como eu disse lá em cima, sugestões, adições, perguntas e críticas são bem vindas.


16 comentários:

Juliana Costa disse...

Amiga Ivana,

Vc eh o braco direito de qualquer brasileiro/a que chega na Alemanha, vc eh sem duvida a pessoa mais importante que conheci aqui: terapeuta, amiga, companheira, que ensina as pessoas a nao passar fome, necessidade e tudo mais neste pais.

Agradeco muito de ter te conhecido e so peco a Deus que te ilumine em mais uma etapa da vida.

SEU POST Esta maravilhoso, resumido e cobre todas as areas que uma mulher fica em duvida, li tudo com atencao, e eh mesmo o alicate eu so trouxe um =(.

VC EH 10 E sua tese eh 1.0!!!!!
Arrasouuuuuuuuuuuu

BEijososos

Nicole disse...

Adorei, querida! Já estive na Alemanha por três meses, no inverno, e agora estou me preparando para ir por um ano. Vou aproveitar tudo o que você falou!

E só uma ideia de post... frutas. Eu sou fanática por frutas, legumes e coisas frescas em geral. Sofri horrores no inverno, à base de mini-mexericas e laranja. Alface? O que é isso? Você tem dicas para dar às pobres brasileiras? ;)

Beijo e muito obrigada pelas valiosas informações!
Nicole.

Meirielle disse...

tuuuuuuuuudo verdade, gente!!!!!!

Renata Inforzato disse...

Oi Ivana

Muito bom esse post! Então, aqui na França vc encontra um roll-on de cera para fazer depilação que é só esquentar no microondas. É da Veet. Aí deve ter :D

E pra combater a deprê e TPM, estou tomando Lúpulo, que aqui se chama Houblon. Vende no mercado tb, mas não sei o nome em alemão. E um dos ingredientes da cerveja, talvez por isso faça bem hehehe

flucka disse...

Olá Ivana!

Gostei muito dos seus posts de pão de queijo e pastel caseiro tipo de feira. Fiz eles recentemente aqui e o povo adorou! :)
Estou morando agora a seis meses na Alemanha. Como tenho cabelo cacheado pro crespo passei a maior dificuldade no início pra achar shampoo pro meu cabelo. Eu sei que a Nivea tem, mas é mais caro e não se acha em todas as lojas, logo, compro os shampoos da Fructis (que já comprava no Brasil) ou da Dove. Ambos tem funcionado mto bem. A minha mãe deu a dica de comprar shampoos umidificadores (Feuchtigkeitsspendend) ou para volume (por ex., Kraft und Volumen da Fructis), pois estes ajudam o cabelo. No Brasil eu odiava usar condicionador, mas aqui é um mal necessário, já que tem mto calcio na água.
E amei a tua idéia de ir no Sonnenstudio pra recarregar as energias!!! Eu costumo ligar várias velas pela casa pra sair da deprê. Ajuda, mas nem sempre.
Beijos

Sheila Steineke disse...

Nossa! adorei o seu Bloggger ,já estou morando na Alemanha a 9 meses e tudo que vc escreveu parece o filme de minha vida aqui kkkk.Muito legal seus comentários e dicas,obrigado!

Graxi Strawberry disse...

Achei o post incrivel , vou a Alemanha em Setembro para estudar , por pelo menos um ano, já fui de passagem, mas nada igual, dicas infaliveis =D)
Agradecida

Natalia Medeiros disse...

OI! Vim aqui te sugerir uns 'adendos':
1: eu vi shampoo para cabelos cacheados na DM e na Muller, tem da Balea e da John Frieda (amor eterno hihihih).
2: tem palitinho de laranjeira também. Meio carinho, 1,45 euros por cinco.. mas é melhor que nadané. Abraços

Vanessa Paraginski disse...

Olá, Ivana, adoro teu blog, e este post sobre cabelos é perfeito para quem chega aqui na Alemanha. Tenho cabelos crespos e encontrei produtos adequados para meus cabelos, logo que cheguei por aqui, quando acabou o meu creme para pentear do Brasil, acabei comprando um creme para pentear comum (Fructis) e meus cachos ficaram definidos e hidratados, quando este acabou, encontrei um da marca da DM específico para cabelos cacheados, para o meu cabelo o resultado foi muito bom...

Mirna disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
BUYMAZON disse...

Deste post ao dias de hoje, se passaram três anos. Mas gostei de saber de sua lista. Muito legal mesmo.
Estou aqui em Stuttgat a pouco mais de duas semanas. Vou ficar só mais duas semanas e meia. Porém estou afim de ganhar um dinheirinho para abater na passagem comprada na Decolar em suaves prestações. talvez compre uns shampoos e condicionador. Não sei ainda. Não entendo nada disso.
Ai vi seu post e resolvi deixar aqui meu muito obrigado por compartilhar sua experiência e por sua alegria. Muito bom mesmo!!!!!!!

Tenho um blog tb e se quiser, já esta convidada a visitar.
http://buymazonbloger.blogspot.com.br/
Um abraço e bom final de semana!!!!!

Anônimo disse...

Nossa adorei sua página! Estou indo para Alemanha e todas minhas dúvidas estou tirando aqui, até essas coisas minímas de mulheres que ninguém dá importância, como ' lá tem acetona'? estão aqui, estou muito feliz obrigada!

Edilene Moraes Poma disse...

Voce é ÓTIMAAAAAAAAAAAA!!!

PARABENS!!
ESTOU LENDO TUDOOO!!!

Taynã Assis disse...

Parabéns, gostei muito das suas dicas, tenho uma prima morando na Alemanha e pretendo visitá-la e futuramente uma estadia permanente :)

MCMarques disse...

Olá Ivana, seu blog é mto, mto prático e informativo!
Olha, só te digo que não entendi a ligação que vc fez com cistite - infecção urinária - tbm chamada de mal da lua de mel, com calça de cintura baixa e costas/barrigas à mostra!? Normalmente a cistite tem ligação com retenção urinária por mtas horas (tanto que é listada como doença profissional), falta de higiene íntima, trauma local - ato sexual com "contato" com a uretra. Dá um Google e vê se realmente vai manter o texto sobre esse item no seu Blog, tá? Abraço e mto mto grata pelo Blog.

Ana Laura B. disse...

Legal!!! Dicas muito úteis, porém fica uma dica: a erva de são joão pode interagir com a pílula, importante tomar um cuidado extra na prevenção. Bjss

de volta à nave mãe - desde 2008 © Ivana Ebel