de volta à nave mãe: home
Home Home by Ivana Ebel Facebook Twitter E-Mail

menu

Estudar fora Sobre a Alemanha Viagens & turismo
Nonsense Receitas Jornalismo

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Como preparar a Carta de Motivação

O caminho para estudar fora do país é duro, longo, mas se encarado passo-a-passo se torna menos assustador. Vamos por partes então: primeiro, estudar inglês e fazer o Toefl; segundo, escolher o curso; depois, conseguir as cartas de recomendação dos professores e, agora, preparar a famosa “carta de motivação”. Bom... essa requer especial atenção, já que poucas vezes você será chamado para uma entrevista pessoal. A carta é sua única chance de “falar” com o comitê de seleção e dizer quem você é e o que procura.

Cada curso apresenta uma espécie de “roteirinho” do que desejam: uns pedem um resumo do que você planeja estudar. Outros, pedem que você conte a experiência que tem nas áreas relacionadas. Independente disso, algumas dicas valem para todas as cartas:

- Mostre-se motivado com a proposta de estudo. Não repita a descrição do que você vai estudar: mas diga, de forma clara, o quanto cada tópico é relevante para sua carreira.

- Demonstre comprometimento: deixe claro que você quer, acima de tudo, estudar e que vai enfrentar qualquer desafio para dar o melhor de si.

- Fale de sua experiência como forma de agregar valor ao curso, mas deixe claro onde estão as lacunas (os gaps) de sua formação que serão preenchidos com o mestrado que pretende. Se souber tudo e for bom em tudo, não teria porque ir tão longe estudar, certo?

- Aponte experiências anteriores bem-sucedidas de forma sucinta. Não enrole, não coloque adjetivos demais. Adjetivos costumam ser bengalas para quem não tem conteúdo.

- Deixe claro que você está indo para estudar. Claro que o comitê de seleção sabe que uma experiência internacional agrega muito mais do que um mestrado em seu país natal. Por isso, só vale citar o quanto você quer ir para o tal país se isso tiver relação direta com seu foco de pesquisa: do contrário, vai parecer que você está mais preocupado em selecionar um destino turístico relacionado aos interesses pessoais do que ao tema a ser estudado.

- Por fim, deixe claro o motivo pelo qual você deve ser parte do programa. Não é preciso desmerecer ninguém: apenas mostre-se mais motivado, preparado, comprometido, informado e capaz do que os demais. Isso pode até parecer complicado no começo... mas depois de escrever e reescrever a carta umas dez vezes, você terá chegado a um bom termo.



Dica de viagem: Se não tiver o hábito de escrever em inglês, “pense” em português mesmo. Mas lembre-se de que não adianta fazer uma tradução literal do conteúdo. É preciso pesquisar os termos técnicos de cada área a fim de não falar uma besteira imensa. No mais, peça para algum amigo ler a carta. Peça ajuda para corrigir, afinal, na sua única chance de “falar”, você não quer cometer gafes, certo!??!?!



Herzliche Grüβe

7 comentários:

Rafael disse...

Olá, sou Rafael

Muito boas suas dicas. Termino meu curso de Engenharia no fim do ano e pretendo ingressar num Mestrado fora do País. Já iniciei meus estudos no inglês, pois estavam precários!
Excelentes as indicações de onde e como conseguir as coisas, esteja certo de que facilita, e muito, a vida de todos nós que procuramos.
Conheci por acaso o seu blog, não tenho o costume de acessar esse tipo de conteúdo, mas o seu me encantou! Também nunca escrevi em blogs, nem sei como essa mensagem vai aparecer... já adicionei sua página como 'favorita' e pretendo consultar sempre!
Bons estudos aí onde você está!

Abraços,

RAFAEL, de Brasília

Ivana disse...

Rafael!!! Fico bem feliz que as dicas tenham valido à pena... Vai escrevendo e vamos trocando figurinhas! Boa sorte!!!!!

Gabriela de Amorim disse...

Belas dicas. Pretendo conseguir um intercâmbio para Portugal. Curso Pedagogia.

Cia. Sem Gravidade disse...

Ivana, suas dicas estão salvando minha vida! Muitissimo obrigada!
Será que vc tem um modelo de carta de apresentação/motivação?? O edital para mestrado ao qual estou concorrendo exige uma carta com 2 páginas. Já comecei, mas um modelo certamente iria facilitar a vida! Obrigada, Isabela.

Amir Amor & Fernanda Farofa disse...

Cara Ivana, venho te parabenizar pelo blog que vem a ser muito util, facilitando a vida daqueles que residem no exterior - muito boa iniciativa!
Levando em consideracao sua experiencia, gostaria de levantar uma questao: estou me aplicando para uma bolsa de estudos, e como ja tive uma bolsa de estudos nacional, creio que isso possa ser uma barreira para conseguir esta a qual me aplico. Vc acha que ter tido uma bolsa de estudos antes 'e um fator positivo ou negativo nesse momento?
Muito grata. Auf wiedersehen!

Tati disse...

Oi, adorei as dicas,porém você tem alguma carta de motivação pronta para servir de exemplo? Ainda estou meio perdida por onde começar. Obrigada.

Geovane Gomes disse...

Ótimas dicas, mas eu tenho o mesmo problema da Tati do comentário acima. Eu fui aprovado no programa ciência sem fronteiras e breve precisarei elaborar a carta de motivação para encaminhar a uma universidade alemã, só que sinto-me meio inseguro em relação a isso, um modelo para podermos tomar como exemplo seria de grande ajuda. Desde já agradeço e parabéns pelo blog. Sucesso!

de volta à nave mãe - desde 2008 © Ivana Ebel