de volta à nave mãe: home
Home Home by Ivana Ebel Facebook Twitter E-Mail

menu

Estudar fora Sobre a Alemanha Viagens & turismo
Nonsense Receitas Jornalismo

terça-feira, 7 de abril de 2015

Faculdade na Alemanha: passo-a-passo para cursar o bacharelado (graduação) em uma universidade no país

Universidade de Bremen: uma das melhores no Norte da Alemanha

A Alemanha oferece ensino superior gratuito e isso tem atraído cada vez mais estudantes estrangeiros interessados em estudar no país. Mas entrar em uma universidade alemã exige dedicação e boas notas. E não só: para quem é estrangeiro, o desafio já começa no aprendizado do idioma.

A maioria dos cursos de bacharelado é em alemão. Ou seja, sem um conhecimento intermediário/avançado da língua as chances são poucas. Quanto tempo leva para aprender alemão? Depende de cada um. Mas considerando o que as escolas de línguas geralmente oferecem – quatro a cinco semanas por nível – é só fazer as contas: A1.1, A1.2, A2.1, A2.2 e por ai vai até o B2.2 ou C1, conforme a exigência da universidade.

Para quem quer economizar nessa hora, uma boa opção são os cursos oferecidos pela Volkshochschule, subsidiados pelo governo. Em Berlim, cada nível custa a partir de 100 euros, o que é muito menos do que escolas de idiomas privadas ou institutos como o Goethe cobram. E o ensino é de qualidade. A maioria dos estudantes é imigrante e tem pressa em aprender. Por isso as aulas fluem bem e todo mundo está interessado.

Mas falar alemão não é o suficiente. É preciso conseguir uma vaga na universidade o que significa concorrer de igual para igual com os alemães e candidatos de outros países. Para isso existe um curso preparatório e de nivelamento que dura um ano: o Studienkolleg. O curso é oferecido tanto por instituições públicas (onde se paga apenas uma taxa semestral que dá direito ao transporte na cidade e região) ou privadas. 

Além disso, é preciso saber de antemão qual curso se pretende cursar como bacharelado, já que a estrutura educacional na Alemanha é diferente. Existem por aqui as faculdades técnicas (Fachhoschule / Hochschule, com cursos mais voltados à prática, como mídia, informática, administração e negócios, etc) e as universidades (Universität, com engenharias, medicina e outros cursos que envolvem mais pesquisa).

Para entrar em qualquer uma das duas é preciso fazer um teste (tipo o Enem!). Para as Fachhochschulen o exame se chama Fachhochschulreife, ou Fachabitur, como é conhecido popularmente. Esse exame é aceito excepcionalmente também para alguns cursos em Universidade. 

No entanto, quem pretende entrar em alguma universidade precisa fazer o Abitur. Com a nota dessa prova pode-se então participar do processo de seleção de cada universidade do país.
É importante observar que o nível de alemão exigido pelas universidades é maior do que o exigido pelo Studienkolleg, então, muitas vezes, é preciso estudar um pouco mais a língua para passar em um exame de proficiência como o DSH2 ou DSH3, ou TestDaf.

Quem já cursou um ano de universidade no Brasil pode tentar pedir transferência. As regras, nesse caso, dependem da universidade pretendida, que vai definir o que pode ou não ser aproveitado e que documentos serão necessários para o aceite. No entanto, a exigência de passar no teste de proficiência de alemão permanece.

Algumas – raras ainda! – universidades oferecem cursos de bacharelado em inglês, mas são quase sempre faculdades privadas e com mensalidades que ultrapassam os 500 euros. Pode parecer pouco se comparado aos preços praticados no Brasil, mas a conta aumenta com os cerca de 700 euros necessários para viver no país (incluindo casa, plano de saúde, comida, etc). E lembre-se, para pedir o visto de estudante é preciso ter o dinheiro para o ano todo (660 euros por mês) depositado em uma conta-poupança bloqueada na Alemanha.

Se você quer fazer o mestrado, tem muita informação aqui. Já esse post explica como tentar o doutorado na Alemanha.

Um comentário:

Nayara Stefanon disse...

Excelente post, parabens pela iniciativa :)

de volta à nave mãe - desde 2008 © Ivana Ebel