de volta à nave mãe: home
Home Home by Ivana Ebel Facebook Twitter E-Mail

menu

Estudar fora Sobre a Alemanha Viagens & turismo
Nonsense Receitas Jornalismo

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Segundo passo: escolha do curso (Alemanha I)

A palavra-chave para estudar no exterior é “international master”. Dessa forma são identificados os cursos em inglês oferecidos pelas universidades européias. Então, Google it! A gama de respostas vai ser imensa: vale associar alguma palavra que defina a área para restringir os resultados e, então, começa o garimpo. Como já foi dito, a Alemanha, Suécia, Dinamarca e Finlândia são alguns dos países em que não há mensalidade. Iniciar a busca por universidades dessas regiões aumenta a chance de êxito: mas não esqueça de verificar no site de cada uma o link sobre “ Fees”.

A senha pra ir adiante é: “no tution fees”. Fique atento aos prazos de inscrição: a maioria corresponde à data que o material deve estar na faculdade e não o carimbo do correio. No geral, os deadlines são entre janeiro e março para quem começa a estudar em outubro, mas as determinações variam em cada curso, mesmo dentro de uma mesma faculdade. Bom... esse post fica mais focado na Alemanha, mas logo divido as experiências com outros países também (já que consegui vagas na Suécia e Holanda).

Na Alemanha, um bom ponto de partida é o site do DAAD, o serviço acadêmico de intercâmbios. É possível fazer uma busca direta por região ou área (Clique aqui para ir direto para a pesquisa): os resultados são bem amplos, mas não representam a totalidade. Caso se interesse por alguma universidade em especial, pesquise diretamente o site da instituição: é possível que encontre outros cursos não atualizados no DAAD. Fique atento ainda para os requisitos de idioma: embora a busca por “international master” priorize as aulas em inglês, pode haver algum requisito de alemão já na matricula. Não custa mandar um e-mail para a coordenação e perguntar: nem todas as regras são 100% rígidas e, em alguns casos, se as aulas iniciais forem apenas em inglês, é possível conseguir uma exceção e apresentar a proficiência em alemão mais tarde.

Alias, perguntar é a regra. Prepare-se para escrever muitos e muitos e-mails. E mais: lembre-se que perguntar (de forma educada e gentil) não ofende e que e-mail não custa nada! Então, assim que achar um mestrado interessante – e depois de ler TODAS as informações disponíveis no site do DAAD e da universidade -, não hesite em escrever para esclarecer qualquer dúvida ou até mesmo questionar se o seu perfil é adequado ao programa. As respostas costumam levar de dois dias a uma semana: raríssimas vezes fiquei sem um retorno.

Dica de viagem: Embora os alemães sejam famosos por suas regras, os brasileiros compensam a rigidez com sua criatividade e simpatia. Por isso, se não cumprir 100% dos requisitos do mestrado, vale perguntar se pode aplicar da mesma maneira. Você pode se surpreender com as respostas! Dois exemplos: ainda não tinha feito o Toefl e estava com o teste agendado para depois do prazo final de inscrição. Perguntei se poderia me inscrever e enviar o resultado posteriormente. A resposta foi sim. Outro caso: um candidato não obteve a pontuação necessária no Toefl (faltou muito pouco) e perguntou se aceitavam ele mesmo sem cumprir tal requisito: também foi aprovado.


Herzliche Grüβe

4 comentários:

Aline Cabral Vaz disse...

Oi Ivana! Caí aqui no teu blog por acaso! bem legal, vou colocar o link no meu. Qdo quiser apareça lá: www.pensamentospublicos.blogspot.com
Beijo!

Tchello d'Barros disse...

Ivana,

parabéns pelo Blog e sucesso nessa nova etapa em sua vida!

Você sempre faz a diferença e sei que vai aproveitar muito por lá!

Vez em quando estaremos por aqui pra saber das novidades!

Abração!
Tchello.

Jusimara disse...

Vocé esta sendo perfeita nas dicas, principalmente focando os detalhes que realmente fazem a diferança.Parabéns!!! Sucesso...
Jusimara, São Paulo

Antonio Carlos Parente disse...

Ivana

Parabéns pelo blog. Já o indiquei a varios colegas.

Andei vendo em alguns sites que é permitido estudar e trabalhar na Alemanha. Gostaria de saber se isso realmente é viável.

Tenho interesse em cursar um mestrado na Jacobs University Bremen, mas para isso teria de conseguir um emprego pra me sustentar durante o curso. Claro que levaria uma grana aqui do Brasil mas provavelmente não seria suficiente para custear todas as despesas por 2 anos.

Bom, é isso! Se puder me dar umas dicas fico muito grato!
Abraços

de volta à nave mãe - desde 2008 © Ivana Ebel